Internacional

Assédio sexual a menores não conta se durar menos de 10 segundos. Decisão do tribunal gera revolta

Caso aconteceu numa escola em Roma, Itália.

O caso está a gerar grande revolta em Itália, depois de juízes do tribunal de Roma terem decretado que o assédio sexual, se for durante menos de 10 segundos, não é considerado crime.

O episódio remonta a 2022 e envolve uma menor de 17 anos que, num liceu em Roma, enquanto subia as escadas, foi apalpada por dentro das calças por um porteiro. A jovem apresentou queixa na polícia e o homem, Antonio Avola, admitiu ter apalpado a jovem sem consentimento, mas disse que tudo não passou de uma brincadeira.

O procurador a cargo do caso pediu uma condenação de três anos e meio, mas o homem acabou por ser absolvido, já que os juízes consideraram que o que aconteceu “não constitui um crime” por ter durado menos de 10 segundos.

Desde a polémica decisão, o termo ‘palpada breve’ (apalpão breve) tornou-se viral nas redes sociais Instagram e TikTok em Itália, com vários jovens e figuras públicas a mostrarem-se em silêncio, durante 10 segundos, enquanto tocam as partes íntimas, provando dessa forma que 10 segundos não é assim tão pouco tempo.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito