Editorial

Que mundo é este? Para onde caminhamos?

Depois de dois anos de uma pandemia que fez parar o mundo, trouxe com ela milhares de mortos e muitos desesperos. Acabou a pandemia, ou melhor, abrandou, e com ela veio uma crise económica e guerras. Será que o mundo está louco?

Anos difíceis atingiram o planeta, com uma pandemia a sair de onde não sabe até hoje, um mundo parado, um Papa a dar missa numa praça vazia, velas nas janelas, palmas aos profissionais de saúde todas as noites, cidades paradas, em silêncio. Dois anos [2020-2021] para esquecer, mas que fica na memória de todos os que não pensavam passar o que os nossos antepassados passaram há mais de 100 anos com a conhecida gripe espanhola e uma II Guerra Mundial a decorrer, com a nossa vizinha Espanha a importar para este pequeno País há beira-mar plantado também a levar por tabela com a pandemia que dizimou também centenas de pessoas naquela época.

Decorridos 100 anos, o que nós aprendemos? Zero… E zero porquê? Porque passados esses 100 anos, tivemos dois anos em que o mundo voltou a gritar para todos nós abrirmos os olhos, pois até o planeta já está farto de tanta hipocrisia, de tanta maldade, de tanto ódio pelo próximo, deveríamos ter aprendido alguma coisa, mas não, o que aprendemos foi dois anos presos em casa, em teletrabalho, sem socializarmos uns com os outros e passados dois anos a pandemia abrandou e abriram-se as portas, saímos às ruas mais intolerantes, sem paciência para nos aturarmos reciprocamente, o que valeu estes dois anos de paragem? Zero.

Depois de uma pandemia, lá fomos confrontados com uma crise económica provocada por uma guerra do leste, há muito não se via uma guerra desse tamanho, falta de humanidade, ambições por conseguir um território, sim, Rússia e Ucrânia, o maior celeiro da Europa acabava de ser invadido pelo grande território russo, mais fome, mais escassez e uma guerra às portas da Europa, colocando os Estados e até os Estados Unidos da América tremer. Guerra essa que agravou mais a economia que estava fragilizada com a pandemia da Covid-19. Para ajudar à “festa”, o Médio Oriente a semana passada também escambou, com uma possível guerra entre a Palestina e Israel, esta é uma das guerras que mais deve preocupar, pois está a ser desenvolvida na terra santa e acordou o Islamismo que estaria adormecido. Corre nas redes sociais uma canção que, a meu ver, embora tenha sido feita em 2018, mas está atual, a “One Day” de Koolalum, um projeto sociomusical que pretende juntar nações, cores, religiões, géneros de todo o lado que nesse ano junto mais de 3000 pessoas que cantaram “One Day” em coro.

Será que não podemos ter paz neste mundo que em 2020 deu o seu grito e que ninguém aprendeu nada com esse grito?

Dá que pensar… reflitam.

Bem-haja e boa semana a todos!


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito