BrasilCulturaEducaçãoFestas PopularesPaísPolíticaSesimbraTurismo

Bancadas no Carnaval estão a desagradar os sesimbrenses

Uma das voltas que o Carnaval de Sesimbra vai trazer este ano é uma zona de bancadas onde será possível assistir aos desfiles de domingo e de terça-feira com toda a comodidade. Esta é uma das evoluções que Sesimbra traz para a grande volta do seu Carnaval. Uma festividade que se quer mais digna e cada vez mais profissional. O Carnaval em Sesimbra é um dos momentos do ano em que se torna mais difícil chegar á vila, quer seja de carro ou de transportes públicos. Na última reunião, a autarquia anunciou um valor de apoio para este Carnaval.

Colocar um desfile na rua custa muito dinheiro. As bancadas vão oferecer 122 lugares sentados ao longo da Avenida 25. O espaço para colocar esta bancada já é algo exíguo. Esta bancada vai proteger os mais novos, que muitas vezes tinham de se sentar no meio da estrada e acabavam por ser atropelados tanto por aqueles que desfilam como pelos próprios carros.

Para que tal não aconteça, muitos dos troços estão a ser vedados. Para além da bancada, este ano trará como novidade dois ecrãs gigantes, que vão permitir, ao pormenor, observar toda a beleza de um dos desfiles mais bonitos do país. Para ter acesso a esta bancada será necessário pagar bilhete (pode optar por um conjunto de packs) mas quem ficar em pé, ao longo da Avenida, poderá continuar a assistir aos desfiles gratuitamente.

Durante horas, jovens e adultos (com os seus banquinhos portáteis) juntam-se ao longo da Marginal para ver as diferentes escolas e grupos de axé. Algumas das sugestões que os sesimbrenses tem feito é a criação de um bilhete familiar, pois torna-se um bocado pesado pagar quando é uma família de 4 pessoas. Que para além de terem de pagar bilhete e estacionamento também consomem no comércio local.

O facto de se ter de pagar está a deixar algumas pessoas desconfortáveis pois defendem que são valores muito elevados. Pede-se melhores condições para o desfile, para as escolas e para os visitantes. Se algumas pessoas estão contra, outras lembram que existem vários carnavais (como é o caso da Marques de Sapucaí, Ovar e Estarreja) onde se paga para assistir. Este evento, como em outros, movimenta milhares de pessoas.

No caso dos que estão contra os bilhetes ou os packs que estão a ser vendidos, lembram que há 46 anos isto não era feito e que se está a perder a essência do Carnaval de Sesimbra. Que é cada vez mais um negócio. Um dos “pontapés de saída” dos festejos foi o baile Trapalhão, no Grémio. Algumas das fotos que podem ser vistas na exposição sobre os carnavais de outros tempos (algumas das imagens são da década de 60) foram tiradas no Grémio.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito