Opinião

4 MILHÕES DE EUROS PARA OS AMIGOS DO MARCELO

As opiniões expressas neste artigo são pessoais e vinculam apenas e somente o seu autor.

Ao contrário de todos aqueles que, nesta semana, escrevem ou escreveram artigos para jornais, não irei abordar os escândalos de Costa e Companhia.

Prefiro escrever sobre algo que já caiu no esquecimento dos portugueses, como garantidamente irão cair, daqui a 4 meses, as “tropelias” de que são agora acusados os amigos de António Costa.

No passado dia 3 de novembro, a TVI emitiu um programa exclusivo sobre o tratamento de 4 milhões de euros que duas gémeas luso-brasileiras receberam no Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

A TVI refere que as gémeas só receberam o tratamento devido à influência do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Os médicos do Hospital Santa Maria confidenciaram à TVI que se opuseram à administração do medicamento porque outras pessoas, seguramente portugueses, com a mesma doença não puderam aceder ao tratamento devido ao elevado custo do mesmo e porque as gémeas já estavam a receber outro tratamento no Brasil, que é um medicamento que, ao invés de uma toma, como aquele que é dado em Portugal, tem de ser tomado ao longo de toda a vida.

Os médicos e o coordenador da unidade de Neuropediatria do Hospital de Santa Maria, António Levy Gomes estão convictos que o tratamento das gémeas brasileiras só avançou por influência de Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República nega tudo, inclusive de ter falado sobre este caso com o seu filho que está a viver no Brasil e que é mencionado pela mãe das crianças nas declarações que ela fez. Todavia, a TVI refere que existe um e-mail que confirma a interferência de Marcelo Rebelo de Sousa.

Para cúmulo, as gémeas tiveram de obter a nacionalidade portuguesa para puderem usufruir do nosso SNS e do respectivo tratamento gratuito, mas o pedido de nacionalidade só chegou ao consulado de São Paulo uma semana depois delas terem recebido o tratamento.

Marcelo Rebelo de Sousa já veio a público ameaçar que quem insistir que o Presidente da República falou com alguém do hospital para desbloquear o tratamento gratuito às gémeas irá ter de responder em Tribunal porque considera que “a defesa da honra do Presidente da República, não pode estar sujeita a uma suspeição”.

Posto isto, considero que Marcelo deveria ter mais respeito pelos portugueses: primeiro, porque é normal que qualquer pessoa fique com suspeitas de ele ter interferido no caso das gémeas. Em segundo, o que não é normal é um Presidente da República não perceber que dizer ou pensar que, neste caso, se suspeita dele é, somente, ter Liberdade de Expressão, mas depois de tantos atentados à Constituição que ele cometeu durante o seu mandato, admito que o antigo professor de Direito já não saiba o que isso significa.

Eu assumo que fiquei com essa suspeita, até porque alguém teve de interferir para que  o hospital  desse o medicamento às gémeas, contra todas as recomendações e pareceres dos médicos do Santa Maria.

Para mim apenas é relevante o seguinte: 1. Ainda bem que duas crianças receberam um tratamento que, possivelmente, lhes irá proporcionar uma vida digna; 2. O tratamento podia ter sido dado no Brasil? Sim, podia, inclusive os pais fizeram uma campanha de angariação de fundos; 3. Existiram portugueses prejudicados por o medicamento ter sido dado às gémeas? Evidentemente que sim; 4. Os quatro milhões de euros poderiam ter salvo a vida de quantos portugueses?

Possivelmente foram as respostas a algumas destas questões que fizeram os médicos decidir pela recusa do tratamento às gémeas, porque ninguém no seu perfeito juízo quer recusar salvar a vida de duas crianças.

No entanto, se o preço a pagar foi deixar morrer outras crianças que estariam há mais tempo à espera de tratamento e, ainda por cima, portuguesas, então, lamento, quem interferiu para que as gémeas recebessem este tratamento tem de ser preso por muito tempo, pois não compete a essa pessoa, que tem de ser alguém com muita influência política, decidir quem recebe determinado medicamento.

Quem tem de tomar essa penosa decisão, porque infelizmente há sempre dinheiro para as comemorações de tudo e mais alguma coisa, mas nunca há para salvar vidas, são os médicos ou juízes e não os políticos, mesmo que esse político possa ser o Presidente da República.

Espero que o Ministério Público investigue esta situação a fundo, porque os pobres portugueses também têm direito à vida e aos mesmos tratamentos de quem se julga acima de tudo e de todos!


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito