País

País em greve. Escolas, hospitais e serviços públicos parados ou a meio-gás esta sexta-feira

Hoje, sexta-feira, é dia de greve nacional da função pública e são esperadas perturbações em vários sectores de actividade, sobretudo na saúde, educação, serviços centrais e locais.

Sebastião Santana, líder da da Frente Comum de sindicatos da Administração Pública, adiantou à Multinews que é esperada “uma grande greve, com enorme adesão de todos os sectores. Todos os trabalhadores se identificam muito com as reivindicações, como a subida dos salários, valorização das carreiras, taxação dos lucros excessivos ou travão ao aumento de preços. Temos feito um grande esforço de mobilização e o que vemos é que vamos ter uma grande greve”.

Assim, balcões e serviços da Segurança Social, conservatórias e registos estarão encerrados, balcões e repartições das Finanças a meio-gás e serviços das autarquias seriamente desfalcados.

A greve terá ainda efeitos na saúde, pelos que há hipótese de centros de saúde e outras unidades estarem encerradas ou com os serviços condicionados. Os professores também se juntaram à greve da Frente Comum e o sindicalista avisa que há escolas que poderão não abrir.

A greve da Frente Comum ocorre na véspera da manifestação nacional convocada pela CGTP, em Lisboa, para amanhã, dia 18, por aumentos salariais e contra o aumento do custo de vida.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito