Opinião

O peso do diagnóstico

Efetuar um diagnóstico será uma tarefa rotineira para quem atua na área clínica, mas de todo, de menor importância.

Um diagnóstico incorreto pode mudar a vida de alguém, limitar as suas escolhas, oportunidades e o olhar de quem o rodeia.

Um diagnóstico certeiro, mal partilhado/divulgado pode ter um efeito tão ou mais perverso do que o exemplo anterior.

Serei eu então, anti diagnósticos?

Não creio, como mulher da ciência, acredito na importância do conhecimento. Sobretudo do autoconhecimento, como ferramenta para sermos mais felizes e realizados.

Como psicoterapeuta, inquieta-me a elevada percentagem de diagnósticos incorretos, sobretudo apressados, sem critérios, muitas vezes sem uma correta utilização de instrumentos de avaliação.

Indigna-me a percentagem elevada de crianças e adultos medicados, sem diagnóstico e sem critério para tal.

Condeno os diagnósticos como prisão, limitação das nossas escolhas e liberdades. Os diagnósticos que servem para nos colocar em gavetas, com rótulos, para que o mundo possa ser mais securizante e muito mais cinzento.

Defendo o diagnóstico enquanto potencial de melhoria e caminho para a felicidade e realização!

Seja exigente com os profissionais de saúde que procura, não aceite verdades absolutas, nomeadamente com base apenas na observação! Faça perguntas! Peça relatórios! Pela sua saúde mental!


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito