Opinião

“Estamos a repetir os erros da pré-falência de 2011”

Uma opinião da inteira responsabilidade do seu autor

O novo bloco operatório do Hospital de Faro, custou 800.000€, montado por ajuste directo a uma empresa de serralharia, a 600 Km do mesmo, só em 16 hospitais e 23 centros de saúde há 600 médicos em falta. No seu primeiro ano de mandato como Ministro da Saúde, Manuel Pizarro, não reuniu sequer com um único sindicato dos enfermeiros, um idoso faleceu á porta de Centro de Saúde, em Vila Pouca de Aguiar, Bombeiros exigem que hospitais paguem ambulâncias paradas, meios de socorro ficam horas retidos nas urgências.

Na Lousã, bebé nasceu num táxi com a ajuda dos bombeiros e do taxista, isto, não é digno de um país da união Europeia.

Empresa que sacou 2.001.000€ em contratos desde 2021, fornece segurança e vigilância privada às Forças Armadas, por 90.000€ mensais. Outro verdadeiro escândalo, depois de chumbado pelo tribunal de Contas, contrato por ajusto directo para as baterias dos navios elétricos, foi novamente ganho pela mesma empresa, mas agora, com uma proposta que custa mais 500.000€, a quem interessa?

As taxas de juro estrangulam perto de 70.000 famílias portuguesas, previsão do Banco de Portugal antecipa um aumento das famílias com dificuldades para pagar mensalmente a prestação da casa. Receita corrente dos Governos de António Costa aumentou 34.000,000€ desde 2015, a única coisa que funciona bem, é a cobrança de impostos.

A recentemente eleita líder do Bloco de Esquerda, Mariana Mortágua, afirmou publicamente e cito: “Rendas altas são o vírus, reduzir estrangeiros é a cura”, além da amnésia do caso Robles, aquando vereador na CML, que colocou à venda por 5.700,000€ um prédio que comprou à Segurança social por 347.000€. Questiono os OCS e os jornalistas em geral, sempre tão acutilantes nos ataques aos valores da “família”, se esta afirmação profundamente racista, quando proferida pela esquerda radical, já não é xenofobia?

A novela teve início, Christine VS TAP, com uma enorme fatura que vai sobrar para os portugueses, o pedido de indemnização que iniciou em 500.000€, pode terminar até 5.900.000€, Mariana Vieira da silva, número 2 do atual executivo Governativo do PS, cujo o primeiro emprego, foi ser Ministra, num Governo onde era colega do pai, em reação aos OCS, reagiu “estamos muito confortáveis com a decisão”, claro, não são os senhores do Largo do Rato que vão pagar, é o contribuinte, “estamos a repetir os erros da pré-falência de 2011” José Gomes Ferreira.

Na semana corrente, Putin, e a Federação Russa, receberam o ditador Kim Jong-un, líder supremo do regime Comunista da Coreia do Norte, o único país no mundo, que declarou apoiar 100% a invasão da Ucrânia. Um verdadeiro exemplo de democracia livre, aberta, e de liberdade de imprensa.

No mesmo registo, Manuel Pires da Rocha, dirigente do PCP, participou nas eleições “ilegais” nas regiões ocupadas Donetsk, e considerou as mesmas legais “mentiras sobre a Rússia”. Deslocou-se também, à devastada cidade de Mariupol, onde considerou notar “atmosfera de liberdade”.

Questiono o distrito de Setúbal, e o concelho de Alcochete em particular, se nas próximas eleições autárquicas de 2025, são pessoas que perfilham destes ideais políticos, e que defendem ditaduras e a invasão da Ucrânia, que querem novamente ver ser eleitos nos nossos concelhos? Eu, não! Além da enorme hipocrisia, de algumas ovelhas tresmalhadas, tal cordeiro.(a).s, em pele de verdadeiros lobos (tacho a quanto obrigas)…

João Garrett Condelipes, vice-presidente do PSD de Alcochete, e membro da Comissão Política Permanente, Distrital do PSD de Setúbal.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

comentário

  1. Onde estão as evidências? Não vejo como. Opiniões partidárias devem ter base sólida e não opiniões pessoais. Até porque eu também tenho a minha.