Opinião

‘Ajudem-me a ajudar-vos’: Os polícias merecem mais e nós também

As opiniões expressas neste artigo são pessoais e vinculam apenas e somente o seu autor.

A proteção da imagem institucional da polícia deve ser uma prioridade, para que possam cumprir as suas funções com confiança.

 Os polícias desempenham um papel fundamental e insubstituível. A sua função transcende o simples cumprimento de um dever; representa a pedra angular que mantém a ordem e a segurança para todos os cidadãos. É indiscutivelmente uma das profissões mais sobrecarregadas de responsabilidades, cuja importância é muitas vezes subestimada.

Em Portugal, as forças de segurança enfrentam desafios substanciais: um dos principais problemas é a remuneração inadequada que recebem. Comparado com o risco que assumem diariamente para proteger os cidadãos, o salário dos polícias é manifestamente baixo. Esta realidade dificulta a atração e a retenção de talento nas fileiras das forças de segurança, e isso compromete a qualidade do serviço prestado.

No entanto, quando discutimos as condições dos polícias, não podemos limitar-nos a salários. As condições de trabalho abrangem também a falta de recursos materiais e humanos. A escassez de meios e equipamento apropriado pode colocar em risco a segurança dos próprios agentes e a eficácia das operações. Além disso, a sobrecarga de trabalho decorrente da falta de pessoal pode prejudicar a capacidade da polícia em responder eficazmente às necessidades da sociedade.

Outro fator que minou a posição dos polícias na sociedade é a perda de respeito que têm experimentado nas últimas décadas. No passado, eram considerados como defensores da lei e heróis da comunidade, mas essa perceção tem-se vindo a erodir. A falta de respeito pela autoridade policial resulta em parte de uma desconexão entre a sociedade e as instituições estatais.

O Governo desempenha um papel crucial na promoção da segurança e no apoio às forças de segurança. Infelizmente, ao longo dos anos, tem havido uma diminuição no investimento e apoio às forças policiais. A ausência de uma estratégia clara para promover uma sociedade segura tem prejudicado a capacidade da polícia em cumprir o seu papel de forma capacitada.

É imperativo que a sociedade compreenda a necessidade de preservar e apoiar a polícia. A ordem e o cumprimento da lei são fundamentais para o funcionamento de qualquer organização societal civilizada. Sem uma polícia forte e respeitada, corremos o risco de mergulhar na anarquia social, onde prevalece a lei do mais forte.

Para que a polícia possa desempenhar o seu papel com eficiência, é capital que tenham o número adequado de agentes e os recursos necessários. Devem também gozar da legitimidade e respeito por parte da opinião pública e das instituições estatais.

A proteção da imagem institucional da polícia deve ser uma prioridade, para que possam cumprir as suas funções com confiança.

Por tudo isto, parece-me que a melhoria dos salários, a equiparação do suplemento de missão à da Polícia Judiciária, melhores materiais e outras reivindicações são legítimas, mas falta muito mais. É preciso construir o Estado de outra forma, para que esteja sempre ao lado de quem protege a nossa vida individual e coletiva.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

comentário

  1. Nós os reformados também precisamos de ajuda. Ainda agora veio um pequeno aumento e já se foi com as subidas de preços. E trabalhamos uma vida inteira. Alguns desde os tempos do fascismo. Os nossos descontos entraram. E como estamos hoje? Hoje todos se queixam. Conforme quem está a governar. Conforme lhes sopram ao ouvido.