DestaqueDistrito de SetúbalDistritos

Quer morar na margem sul? Saiba em que concelho é mais barato e mais caro comprar casa

O mercado imobiliário, para quem procura casa nos anos mais recentes, é uma verdadeira dor de cabeça, sobretudo se pretende que o novo lar responda a alguns itens.

Um destes será, sem dúvida, a distância do local de trabalho, e tendo em conta que a maior parte das pessoas trabalha nas capitais de distrito, não é difícil assumir que nestas as casas são sempre mais caras.

Outro factor que aumenta o valor das habitações é a proximidade com o litoral, como o site ‘Idealista’ descobriu com a análise realizada aos mais recentes dados do INE.

«É em Figueira de Castelo Rodrigo, no distrito da Guarda, que se encontram as casas mais baratas de todas» refere o site imobiliário, explicando que neste município «o custo mediano das casas vendidas ao longo de 2022 fixou-se em 192 euros/m2, o que significa que uma habitação de 100 m2 custou menos de 20 mil euros, apontam os dados do INE publicados no passado dia 21 de abril».

As habitações mais caras situam-se, como já foi dito, no litoral do país, «com destaque para os municípios do Algarve e das Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto. Lisboa (3.872 euros/m2), Cascais (3.473 euros/m2) e Oeiras (3.001 euros/m2) são os municípios onde se encontram as casas para comprar mais caras de todas».

E qual é o valor mediano das vendas por m2 das casas nos últimos 12 meses, no distrito de Setúbal?

Almada é o concelho onde o valor é mais elevado, com o preço das casas a alcançar os 2.179 euros/m2. Segue-se Sesimbra, onde o valor é de 1.956 euros/m2; Alcochete com 1.867 euros/m2; Seixal, com 1.761 euros/m2; Montijo, com 1.719 euros/m2; Setúbal, com 1.648 euros/m2; Barreiro, com 1.512 euros/m2; Palmela, com um custo de 1.556 euros/m2 e a Moita, onde as casas têm um preço médio de 1.280 euros/m2.

No que respeita à zona do litoral alentejano, é o município de Grândola que apresenta os valores mais elevados, com 1.722 euros/m2; seguido por Sines, com 1.659 euros/m2; Santiago do Cacém, onde o preço é na ordem dos 1.321 euros/m2, e por fim Alcácer do Sal, com preços de 1.151 euros/m2.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito