DestaqueDistritosPaísPalmelaSociedade

Populares apontam o dedo às autarquias de Palmela e Pinhal Novo pela falta de limpeza

A revolta popular e o sentimento de incapacidade foi visível nos rostos de quem habita ou é proprietário de terrenos e casas na zona do Terrim na freguesia de Pinhal Novo. No passado domingo os moradores daquela zona foram surpreendidos por um incêndio de grandes dimensões, começando por um terreno agrícola nas traseiras de uma associação instalada naquela zona rapidamente avançou para o lado oposto em direção às bombas de abastecimento. Os populares que faziam de tudo para ajudar as equipas de bombeiros que mobilizaram 113 operacionais da Península de Setúbal, rapidamente apontaram o dedo à Câmara Municipal de Palmela e Junta de Freguesia de Pinhal Novo, um dos populares que se identificou às cameras do CMTV, Manuel Algarvio, referiu que “a culpa é da Câmara Municipal de Palmela e da Junta de Freguesia que não limpa as bermas e caminhos municipais”, salientando que os moradores do Terrim estão esquecidos pelas autoridades municipais.

A rede social Facebook também foi “invadida” por apelos e comentários, um desses apelos foi deixado por Céu Crispim que adianta “Sr. Presidente da Câmara de Palmela, com o devido respeito, dirijo-me fundamentalmente a si, pois é o representante da autarquia, a qual à alguns meses atrás me enviou (e muito bem!!!) um comunicado para proceder à limpeza do meu terreno”, prosseguindo “O meu terreno foi limpo sr. Presidente!!! Mas isso não evitou o desespero pelo qual passei esta tarde. O Sr. Presidente vai certificar-se que o proprietário da grande extensão de sobreiros frente à quinta onde moro e da qual pago todos os impostos vai limpar o mesmo??? Mesmo tardiamente isso vai acontecer???” questionando ainda se existem proprietários de primeira e de segunda no Concelho de Palmela. Por fim esta moradora enaltece o trabalho dos bombeiros.

O Diário do Distrito questionou o presidente da Câmara Municipal de Palmela, Álvaro Amaro, para esta situação, ao que o Gabinete de Apoio à Presidência nos respondeu: “O Município de Palmela esclarece que o fogo ocorrido no dia 2 de junho, ainda de origem desconhecida, teve início no centro de uma quinta agrícola e não em qualquer berma ou terreno público. A desmatação de bermas, nas estradas e caminhos municipais alcatroados, é efetuada pelos serviços municipais, que realizaram uma intervenção de corte em fevereiro, a que se seguiu a aplicação de herbicida sistémico, que retardou o crescimento das infestantes. Prevê-se nova intervenção de corte no final de junho, se se verificar necessidade. No que respeita aos aceiros e arruamentos em terra batida, a limpeza e corte de vegetação nas bermas está delegada nas respetivas juntas de freguesia, através de contrato interadministrativo, que prevê duas intervenções anuais.

Importa, ainda, esclarecer que o Município já realizou a limpeza dos terrenos públicos em todo o concelho e tem estado a proceder à limpeza dos caminhos na zona do Parque Natural da Arrábida, que integra o seu território.”

Já da parte da Junta de Freguesia, o presidente Manuel Lagarto, explicou que “atualmente não temos meios próprios para fazer o corte de ervas nas bermas, temos sempre que adjudicar o serviço a entidades externas” adiantando ainda que “a freguesia tem 94 quilómetros de aceiros para fazermos limpeza”. Em 2018 a Junta de Freguesia terá gasto cerca de 15 mil euros em limpezas e que teve que voltar a adjudicar o corte ervas por uma segunda vez.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito