EconomiaPolítica

Montenegro quer que Medina concretize “metade” do que Moedas concretizou

O presidente do PSD manifestou hoje o desejo de que o ministro das Finanças, Fernando Medina, tenha daqui a um ano “metade da capacidade de realização” dos objetivos traçados da que atribuiu ao presidente da Câmara de Lisboa.

“Gostava eu que o senhor ministro das Finanças [Fernando Medina] pudesse dizer, daqui a um ano, metade da capacidade de realização que o Carlos Moedas aqui acabou de dizer nos exemplos que deu da Câmara Municipal de Lisboa”, disse.

Luís Montenegro intervinha numa iniciativa organizada pelo PSD/Lisboa, na zona do Príncipe Real, intitulada “Um Ano de Concretizações Autárquicas”, que assinalou um ano após a tomada de posse de Carlos Moedas como presidente da autarquia da capital, depois de vencer o socialista Fernando Medina, agora ministro das Finanças.

O líder do PSD salientou que o Orçamento do Estado para 2023 foi apresentado “há uma semana por uma personalidade bem conhecida da Câmara Municipal de Lisboa”, sendo “uma altura interessante” para “comparar aquilo que é apresentar intenções, propostas, programas e o que é executar”.

“Podemos não fazer tudo bem, mas há uma certeza de que nós de Lisboa dizemos e damos ao país: nós transformamos, mesmo quando erramos, nós tentamos fazer bem. Pior do que não fazer, pior do que não transformar, é deixar tudo na mesma e para isso já temos o Governo, já temos poder público que baste. Aproveitemos a oportunidade das autarquias locais, façamos que a vida das pessoas melhore”, sublinhou.

Segundo o líder do PSD, vários jovens de outros distritos têm-no abordado apelando a que a gratuitidade de transportes públicos para menores de 23 anos instituída por Moedas seja estendida também àqueles que estudam em Lisboa, mas não têm residência fiscal na capital.

Mostrando-se confiante de que Carlos Moedas dará “uma resposta positiva a essas pessoas”, da plateia ouviu-se o presidente da autarquia responder: “vamos resolver”.

Ao discurso assistiam Carlos Moedas, o secretário-geral do PSD, Hugo Soares, mas também o anterior secretário-geral José Silvano, a quem Montenegro se dirigiu.

“Nós no PSD temos os tais períodos em que podemos divergir e discutir ideias, mas nós somos social-democratas também uns com os outros, nós respeitamo-nos uns aos outros e é com esse espírito que a câmara está a ser gerida, é com esse espírito que o PSD está a ser gerido e é com esse espírito que nós vamos pôr Portugal a acreditar no PSD”, afirmou.

Montenegro deixou também uma “palavra de conforto partidário” da direção nacional à estrutura do partido em Lisboa, apelando a um “espírito de unidade, de união e de abertura à sociedade” para atrair os melhores quadros.

Em 18 de outubro de 2021 o social-democrata Carlos Moedas tomou posse como presidente da Câmara Municipal de Lisboa, três semanas depois de uma vitória sem maioria absoluta nas autárquicas de setembro, nas quais derrotou o socialista Fernando Medina.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito