AtualidadePolítica

Deputado do Chega, que nega racismo em Portugal, diz que não foi eleito vice da AR por “ser negro”

Gabriel Mithá Ribeiro, deputado do Chega, diz que foi rejeitado para a vice-presidência da Assembleia da República por pertencer a uma minoria racial.


“Fui rejeitado num país que anda há décadas a dizer que combate o racismo. Eu não posso apagar a qualidade de ser negro”, referiu o deputado em declarações à imprensa.


Recorde-se que Gabriel Mithá Ribeiro tem publicações em que defende que não existe racismo no país, posição que também assume publicamente.


José Ferreira, membro eleito pelo partido Chega à União Freguesias de Setúbal, disse no Twitter que o que aconteceu no Parlamento foi uma “vergonha”.


O partido não conseguiu, assim, eleger o seu candidato para uma vice-presidência da Assembleia da República.


Diogo Pacheco de Amorim foi apresentado como o primeiro nome, mas falhou a eleição, com 35 votos a favor, 183 brancos e seis nulos.


Gabriel Mithá Ribeiro obteve 37 votos a favor, 177 brancos e 11 nulos na segunda eleição.


Eram necessários 116 votos a favor necessários para um dos deputados conseguir ser eleito vice-presidente.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito