Economia
Em Destaque

Trabalhadores da Autoeuropa rejeitam acordo de aumento salarial após votação

Após votação, trabalhadores da Autoeuropa rejeitaram o acordo de três anos que previa aumentos salariais de 6,8% em 2024 e 2,6% nos anos seguintes.

Trabalhadores da Autoeuropa rejeitaram, por maioria, um acordo laboral que garantiria aumentos salariais significativos nos próximos três anos. O acordo, que previa um aumento de 6,8% em 2024 e de 2,6% em 2025 e 2026, ou 0,6% acima da inflação, a proposta foi rejeitada por 57,7% dos votos.

Segundo a Comissão de Trabalhadores (CT) da Autoeuropa, dos 4.888 trabalhadores inscritos, 3.932 exerceram o direito de voto. Destes, 1.645 (41,8%) votaram a favor do pré-acordo e 2.268 (57,7%) votaram contra, com 956 abstenções (19,6%), 10 votos em branco e nove nulos.

A CT anunciou que irá exigir à empresa o regresso à mesa das negociações após a rejeição do acordo. O pré-acordo incluía não apenas aumentos salariais, mas também prémios de objetivos anuais e únicos.

Antes da votação, a CT ressalvou que os aumentos previstos no pré-acordo permitiriam salvaguardar o poder de compra dos trabalhadores de empresa. Porém, o diretor-geral da Autoeuropa, Thomas Hegel Günther, alertou para o aumento dos custos de produção em tempos desafiadores para a indústria automóvel europeia.

O Diário do Distrito sabe que a empresa espera mais um modelo a ser produzido em Palmela, será um novo automóvel da Volkswagen Hibrido.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito