Empresas

Grupo belga constrói mega plataforma logística no Montijo

O VGP Park Montijo, com uma área total de terreno de 85.014 metros quadrados, é o 3.º projeto do grupo belga VGP em Portugal, depois do VGP Park Santa Maria da Feira e do VGP Park Loures.

A obra deve estar concluída no prazo de um ano. O valor do investimento, no entanto, ainda não foi revelado. “O VGP Park Montijo é mais um passo importante para o crescimento da operação em Portugal, em particular na zona de Lisboa. A obra arranca com um respeitável primeiro inquilino e, em breve, (arrendaremos) a restante área”, explica José Ferreira, country ‘manager’ da VGP em Portugal.

Neste arranque do projeto, 42% do VGP Park Montijo já se encontra pré-arrendado e estão ainda disponíveis 18.000 metros quadrados para arrendamento, em áreas que podem ir dos 5.000 metros quadrados (superfície mínima), até à totalidade do espaço disponível para soluções mais personalizadas às grandes operações.

“As instalações proporcionam condições de elevada qualidade, para os serviços de logística, armazenagem, atividade comercial e indústria ligeira”, detalha o grupo em comunicado. O VGP Park Montijo tem uma área total de terreno de 85.014 metros quadrados, sendo que 31.406 metros quadrados são de área locável, adequada tanto para fins logísticos, industriais e «last mile».

Este parque surge depois do VGP Park Santa Maria da Feira, arrendado à rádio Popular, e o VGP Park Loures, o primeiro na área metropolitana de Lisboa, sendo o primeiro projeto 100% dedicado à logística de last mile, arrendado à DPD e DHL e cuja entrega está prevista para este ano.

O Grupo VGP é proprietário, gestor e promotor pan-europeu, de propriedades logísticas e semi-industriais. Fundada em 1998, a VGP com uma equipa de cerca de 371 pessoas e opera em 17 países europeus diretamente e por meio de várias joint ventures. A VGP está cotada na Euronext Bruxelas.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

46 Comentários

  1. Vamos a isso precisamos de mais trabalho, pro ano já sei onde ir

  2. Mas esperem pela notícia do que vai surgir nos terrenos à frente da rotunda da Mercadona 😂😂😂

    1. Arsénio Chula Lopes ja pensei nisso, tal como ja me perguntei que será aquele edifício que estao a remodelar.

    2. Inês Sanheiro esse edificio da-me a sensação pelo tipo de construção que é um novo quartel de bombeiros, ficaria bem + situado do que os actuais, pelo menos para casos de fogo, eu manteria um dos outros internos para ambulancias

    3. Hugo Oliveira podia ser um edifício para centro de saúde e cuidados paliativos ,

  3. Mais camiões, mais trânsito, menos qualidade de vida, serão sem dúvida as mais valias para a população. Porque não fazem estes investimentos em zonas menos povoadas e com mais necessidade de emprego tais como Pegões, Poceirão, etc?? O trânsito para entrar no Montijo naquela zona, por si só, já é caótico, agora imagine-se com mais este mamarracho 😭 infelizmente a CMMontijo só pensa em captar investimento seja ele benéfico ou não para a cidade, neste caso é mais uma aberração, tal e qual como autorizar zonas industriais, em locais sensíveis e obrigar um volume exagerado de camiões pesados a atravessar a cidade.

    1. Paulo Costa tem toda a razão. Todas as cidades têm uma zona industrial afastada da cidade. Onde é a zona industrial do Montijo? 🤔🤔

    2. Susana Amaral A zona industrial do Montijo está espalhada por toda a cidade. Deve ser fruto do excelente trabalho dos arquitectos paisagísticos 😭 Em Badajoz criaram uma zona ÚNICA de área industrial e estão a deslocalizar tudo o que é indústria para essa zona. Para isso será necessário ter uma visão de futuro que é algo que está câmara não tem. Basta ver que autorizaram um ferro velho á entrada da estrada do seixalinho no lado do rio e a 1 km do centro da cidade. Já a BA6 deveria ser desactivada e entregue á cidade como zona de lazer e nunca como aeroporto. As pessoas estão sempre em primeiro lugar e tudo o que seja feito em prol de aliviar o stress é sempre bem vindo. De todas as localidades ribeirinhas desde Lisboa, Vila franca, Barreiro, etc… o Montijo é a única localidade que tem as costas voltadas para o rio, entregou essa zona aos ratos e ratazanas. Enfim é o que temos.

    3. Paulo Costa não precisamos de ir para Espanha. Há cidades, como Évora, que têm uma zona industrial.
      A zona ribeirinha ao pé do Kacaça o que é que lá tem? Alcochete está muito melhor aproveitado do que o Montijo. Infelizmente. Aqui só se fazem festas…

    4. Paulo Costa cidade essa que só tem 1 estrada para entrar (estrada nova) e uma para sair (passa junto a uma ribeira), de resto a outra saida vai para alcochete, e mesmo aquela da ribeira que pudeira perfeitamente ser estendida até á rotuda do mercadona, está cheia de buracos e a CM apenas ”remendou” esses buracos …não fez mais nada, nota que se fize-sem o prelongamento até á dita rotuda, muita gente fugia ao transito de atravessar o montijo para sair dele

    5. Paulo Costa mas já viram o tipo de presidente que o Montijo tem ,

    6. Arsénio Chula Lopes
      O Montijo não tem a culpa , a culpa é dos que votaram em alguém que não teve nem tem competência para gerir uma cidade em crescimento

    7. António Carlos ele tem que obedecer ao seu sog 😂😂😂. Pois é ele que manda e o presidente leva o trabalho feito de casa.

    8. Paulo Costa acha que as pessoas de pegões, poceirão, etc necessitam de mais confusão? Eu sei que a que existe no Montijo não tem nada a ver. Menos povoadas depende do ponto de vista . Para zona Rural está bem povoado. Mas se necessitar de uns Indianos podemos indicar o caminho ? Não sei o que é pior

    9. Paulo Costa Talvez o ideal seria zona industrial no sitio certo com mais capacidade

    10. Lúcia Maria Dinis Caseiro Compreendo perfeitamente. No entanto Pegões ou Canha vão deixar de ser rurais muito brevemente com o novo aeroporto. Infelizmente as zonas indústrias nessas zonas vão aumentar drasticamente. A nova cidade aeroportuária a isso obriga. A calma e o sossego têm os dias contados. Esperem, vendam e FUJAM 😃

    11. Paulo Costa por mais que me doía , sim essa é a realidade

    12. Lúcia Maria Dinis Caseiro Não tenha a mínima dúvida. A zona tranquila, rural e longe de tudo e perto de tudo ao mesmo tempo, tem os dias contados.

    1. Siqveira Amaro na rotunda perto da Prio. Andam já a demolir as construções abandonadas que aí existiam

    2. Siqveira Amaro nas antigas suiniculturas do Izidoro

  4. Já estava à venda quando ainda não tinha licença de construção….não é estranho?

  5. É pena que a Câmara Municipal do Montijo não se lembre das pessoas que moram na Lançada e Sarilhos Grandes, mais todas as que pessoas que vêm da estrada N11 . Todos os dias, de manhã e ao final da tarde, a fila é interminável até à rotunda de a asso à A33. Para não falar da urbanização nova que estão a construir na Lançada, agora ainda vêm colocar mais uma Plataforma de Logística para gerar ainda mais trânsito.
    Gostava de saber o que é que a nossa Junta de Freguesia de Sarilhos Grandes está a fazer para resolver este problema??

    1. Susana Amaral reclamação há Camara Municipal do Montijo

    2. Susana Amaral quem esta a construir é um grupo privado, percebeu isso? Esses não teem nada a ver com os acessos …

    3. Bruno António Raposo mas a Câmara teve que aprovar!

    4. Sónia Gonçalves sabe se existe algum site para reclamar? Já enviei email mas nunca ninguém me respondeu

    5. Susana Amaral a margem sul está entupida de trânsito a toda a hora, na zona de Almada até Seixal, Sesimbra são filas intermináveis, saíram de Lisboa para residir deste lado. Todos os dias é um caos. Deixou de ser “deserto “

    6. Susana Amaral Pois é mais uns trocos para o bolço do presidente da câmara municipal do Montijo e agora tudo fala mas quando chegar á hora de ir voltar a porcaria é sempre a mesma votão sempre nos curroptos abram os olhos povo enquanto é tempo estamos a ser roubados diariamente por estes parazitas mamões xuxalistas mentiroso chega chega sempre Chega força Doutor André Ventura estamos juntos chega

    7. Nilde Martins “…saíram de Lisboa para residir deste lado.”
      Foi mais a necessidade que assim obrigou, porque se a habitação fosse justa e com preços justos, acho que poucos viveriam na margem sul. Seria mais o inverso.

    8. Nuno Pereira concordo qd diz que foi mais por necessidade que assim obrigou. Agora….. poucos viveriam na margem sul? Porquê?

    9. Nilde Martins permita-me a questão:
      Mora em que margem, e trabalha em que margem?
      É que de muitas conversas que tive ao longo de todos os anos que tenho de me deslocar, todo o que recebi, é que na ótica de algumas pessoas para não dizer de muitos não têm lógica morar longe do local de trabalho, podendo ter essa facilidade. E assim podiam usufruir do seu tempo de outra forma. Não crítico quem gosta de passar duas horas nos transportes para fazer 30km, se acha que o seu tempo não é valioso para ser gasto em família…
      Eu moro na margem sul não por opção mas por necessidade. Há já 25 anos que Lisboa,já deixava de ser para os seus filhos, nascidos e criados, e a opção menos má, era viver do outro lado do rio. Mas lá está, o que para mim é o menos bom, para outros é o el dourado