Setúbal
Em Destaque

Estacionamento caótico na Serra da Arrábida causa cortes de trânsito

A GNR cortou o acesso ao Creiro devido ao estacionamento irregular verificado ao longo da EN 379–1.

Este sábado, dia 1 de junho, pelas 14h00, a Guarda Nacional Republicana (GNR) teve que cortar o acesso ao Creiro a partir do cruzamento de Alportuche, devido ao grande volume de carros estacionados irregularmente nas bermas. Esta situação, que se repetiu várias vezes no ano passado, não teve medidas preventivas eficazes para impedir o estacionamento desordenado na área do Solitário.

Automobilistas que estacionaram fora das bermas acabaram por bloquear o trânsito, resultando num cenário caótico por volta das 18h30. 

Um reboque teve que ser chamado para desbloquear a situação. É escusado dizer, apenas uma pergunta: onde anda a proteção civil? Se houver um incêndio no Solitário, o que irá acontecer a estes milhares de condutores e passageiros? Seguramente pior do que quando o calhau cair na estrada de Galapos”, questionou Pedro Vieira, do Clube da Arrábida.

Pedro Garcia, especialista em Proteção Civil adiantou ao Diário do Distrito que “analisando as fotos que nos foram sendo entregues da situação, podemos dizer que fabricamos no local um barril de pólvora, onde podem ficar milhares de pessoas mortas em caso de incêndio na Serra da Arrábida”, para o especialista a situação é grave de vários sentidos: “Vamos ver uma coisa, nunca esperamos nada de mal para a Serra da Arrábida, mas a mesma não está imune a uma tragédia como já se deu há anos e que ainda vive na memória de muitos, mas não é só de incêndios que podemos falar, se algum incidente há numa das praias, como chegam os meios de socorro ao local, com a estrada bloqueada?”, as autoridades por muito que possam atuar no local é sempre em vão e todos os anos a situação de caos é verificada.

Esta situação destaca a necessidade urgente de medidas mais eficazes para gerir o estacionamento e garantir a segurança na região, especialmente durante os períodos de maior afluência turística.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

6 Comentários

  1. Continuação do meu comentário anterior: Não se pode proibir o acesso às praias, principalmente a quem vá á pé para qualquer uma das praias, eu próprio já fiz em jovem o percurso a pé desde Setúbal até à praia da Arrábida e não custou muito, pois somos jovens, entre os treze e os 30 anos, só nos faz bem. Existe, para este projeto, a necessidade de uma ou duas viaturas da PSP, para multar quem esteja mal estacionado e o carro será rebocado com os devidos custos para o seu proprietário, ao fim de algum tempo, entre as datas do início da época balnear, fora das datas balneares não existe este parqueamento nem restrições, e de qualquer forma, o trânsito pode continuar a circular, mesmo na época balnear, não pode é estacionar a ocupar a estrada de circulação.😉👌👍🥴🤔🤑

  2. É necessário que a Câmara Municipal faça um plano, no seu próprio site, de inscrição de veículos , com o total de 5 passageiros, para os lugares de estacionamento, devidamente identificados, nos diversos parques de estacionamento de cada praia, com uma taxa de três euros por oito horas de manhã a partir das 6,30h e depois à tarde outros bilhetes de três euros a partir das 14,30h até às 21,30h, o lugar antes e depois da hora para estacionar, não pode ser ocupado, existindo outros lugares para profissionais de apoio ao comércio e empregados.

  3. No meu ver, a situação não começa nas autoridades, mas sim em todos os que lá vão e nada respeitam. Qual chefe de familia os expõe e dá o ex que tal atitude é válida? Civismo intitulado e em nada executado!
    Todos gostamos de tal paraíso mas contribuir para tal bandalheira é aterrador, pior ainda é culpar outros quando o mal em nós começa.
    Quanto à autoridade… Que pune por vezes minimalismo, fecha os olhos a abandono de viaturas em plena via e em cima de estacionamento sobre um traço contínuo amarelo o qual na lei que todos estudaram, não é possível parar ou estacionar.
    Pois …alguém terá que tomar medidas e por uns todos pagam … Seja, já que só quando aleijam o bolso e pontos, abrimos os olhos para o cumprimento seja da lei, seja do perigo a que se fecha os olhos e só aos outros sucede!

  4. Infelizmente é apenas a continuação do que se vê nas restantes estradas, estaciobamentos, passeios. O comodismo e egoísmo estendidos a esta zona sensível da serra logo não me espanta .

  5. Só uma palavra para esta gente : FALTA de CIVISMO

  6. É lamentável que automobilistas estacionem desta forma, colocando-se e colocando terceiros em risco. Não é desconhecer o Código da Estrada é comodismo e uma falta de respeito enorme. Há um centro comercial na zona da Grande Lisboa onde entrei no estacioneamento uma vez e fiquei estupefacto com a forma como carros eram deixados fora dos lugares (lá está em caso de emergência é que são elas), queixei-me, quando regressei uma mês depois o espectácule era igual.
    Nunca mais lá voltei nem volto.