AlmadaDistrito de SetúbalDistritos

Depois da Moita e Barreiro, Almada aprova saída da Associação de Municípios da Região de Setúbal

Depois da saída dos municípios da Moita e do Barreiro, agora é Almada que viu aprovada a saída da Associação de Municípios da Região de Setúbal (AMRS).

A decisão do executivo de Almada, atualmente presidida por Inês de Medeiros, do Partido Socialista, foi aprovada em reunião de câmara, com seis votos a favor (cinco do PS e um do PSD) e cinco votos contra (quatro da CDU e um do Bloco de Esquerda).

À semelhança das outras autarquias, o motivo que levou o município de Almada a querer abandonar a associação é a falta de retorno financeiro face aos gastos que implica fazer parte da AMRS. A presidente explicou que gasta anualmente cerca de  275 mil euros “com um retorno nulo para os almadenses”.

A autarca comparou ainda os gastos comparativamente com a Área Metropolitana de Lisboa, que totaliza um valor de 33 mil euros anuais, e que considera ser uma organização com importante organização estratégica.

Inês de Medeiros explicou que nos últimos cinco anos a autarquia fez o possível para chegar a um acordo para um reajuste das contribuições de cada autarquia, promovendo um equilíbrio à organização, que afirma não ter acontecido. A autarca declarou ainda que já tinha sido feita uma proposta ainda para o ano de 2022 para uma redução de 25%, que acabou por não ser modelada, o que levou a que os três municípios (Moita, Barreiro e agora Almada) renunciassem à AMRS.

As três autarquias disponibilizaram-se para ajudar, se necessário, os cerca de 30 funcionários da Associação de Municípios da Região de Setúbal, não comprometendo assim os seus postos de trabalho. “Todas as câmaras se disponibilizaram para acolher trabalhadores para garantir o emprego”, indicou.

Para os vereadores da CDU, que votaram contra a desvinculação da autarquia, apresentaram o argumento da AMRS ser a primeira associação de municípios do país, criada em 1982.

Para Maria das Dores Meira, antiga presidente da Câmara Municipal de Setúbal, “não existem vestígios de um pensamento regional, de preocupação com a promoção da coesão regional, de opção pela articulação, cooperação e solidariedade entre municípios e de intenção de defesa dos interesses próprios do distrito de Setúbal”.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito