AtualidadePalmela

Centenas de despedimentos no Parque Industrial da Autoeuropa alerta Sindicato e CT

As Comissões de Trabalhadores das empresas sedeadas no parque industrial da Autoeuropa revelaram esta sexta-feira que a paragem de produção na fábrica da Volkswagen, em Palmela, causou já o despedimento de 291 trabalhadores, mas o sindicato SITE-Sul diz que já são 560 despedimentos.

À Lusa, Daniel Bernardino, coordenador das Comissões de Trabalhadores (CT) do parque industrial explicou que as empresas do parque já confirmaram o despedimento de 191 trabalhadores precários, que se juntam aos 100 trabalhadores que a Autoeuropa também dispensou, embora estes últimos com a garantia de regressarem logo que seja retomada a produção.

De acordo com os dados disponíveis na Coordenadora das CT, além dos 100 trabalhadores precários dispensados pela Autoeuropa, também há despedimento de trabalhadores temporários ou contratados a termo nas empresas Benteler (40), Faurecia (3), KWD (28), Palmetal (20), SAS (40), Simoldes (20) e VANPRO (40), o que perfaz, assim, um total de 291 despedimentos, refere a Lusa.

A Coordenadora das CT do parque industrial admite também que o número de despedimentos de trabalhadores precários poderá aumentar de forma significativa uma vez que ainda não há dados disponíveis por parte de empresas como a Rangel, Isporeco, Nova Coat e Schnellecke, bem como de outras de menor dimensão.

Em comunicado divulgado esta sexta-feira, o SITE-Sul, Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul, garante, no entanto, que já perderam o emprego 560 trabalhadores do parque industrial e que muitos deles vão ficar sem qualquer rendimento mensal.

No comunicado o SITE-Sul critica também a alegada «intransigência das administrações da Volkswagen Autoeuropa e de algumas empresas fornecedoras», por não garantirem o pagamento de salários na totalidade durante a paragem de produção, e defende que a atual situação se deve a «erros de gestão do Grupo Volkswagen», por estar dependente de um único fornecedor e pela utilização do sistema Just In Time, em que a entrega de componentes para produção é feita pelos fornecedores na hora exata, dispensando a necessidade de uma grande capacidade de armazenamento na fábrica.

A partir de 11 de Setembro, segunda-feira, a Autoeuropa inicia uma paragem de produção de nove semanas, de 11 de setembro a 12 de novembro, devido às dificuldades de um fornecedor da Eslovénia, que foi severamente afetado pelas cheias que ocorreram no início do mês de agosto naquele país.


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

comentário

  1. Infelizmente o que acontece quando não se vende aquilo que se produz …ou o ,que não se produz por falta de componentes …..