AlmadaMobilidade

Almada | Na véspera do caos – Parte III

União de Freguesias de Almada, Cacilhas, Cova da Piedade e Pragal

“Sou utente de Transportes Colectivos desde dos bancos da Escola Secundária. Utilizo -os desde comecei a trabalhar, diariamente, primeiro no Fogueteiro, Lisboa e actualmente no Alfeite. NUNCA VI tamanha salsada. Não estou a falar só por mim., mas creio por todos que todos os dias vão trabalhar, têm horários a cumprir. Falo também, pelas pessoas que moram nas Barrocas, como se deslocam a Cacilhas, Cova da Piedade? Neste local moram pessoas idosas que necessitam fazer a sua vida que já é difícil com parcos recursos, vão ficar sem transporte para Cacilhas. Tenho colegas de trabalho que moram na Charneca e o autocarro dá voltas inusitadas. Isto é um pouco do que se avizinha….a SAGA ainda vai começar. O meu nome é Maria Salomê Pouseiro, tenho 62 anos e moro no Feijó. Já enviei reclamação para a Junta de Freguesia Laranjeiro Feijó, TST, CARRIS METROPOLITANA. Só a Junta e a TST é que responderam. Utilizo os transportes por questões de saúde que me impedem de andar a pé .” Maria Salomé Pouseiro

“Eu gostava de perguntar como é que se faz para vir de Lisboa para margem sul a partir 23h a carreira 753 podia alargar o horário até a meia noite, que ajudava muita gente que trabalha até mais tarde.” Esperança Chaves

“Uma pessoa que trabalhe em Lisboa e saia do trabalho à 00h não tem como ir para casa. Os transportes não podem iniciar na zona sul tão tarde nem acabar tão cedo…É simples a matemática…Digo aos utentes como eu sou ..NAO COMPREM PASSE ESTE MES, NEM ENQUANTO NÃO REGULARIZAREM OS HORÁRIOS E PERCURSOS. Porque só assim a empresa vai ouvir…todas as conversas que venham a existir só vão prolongar o desrespeito da carris pelos utentes e nada vai mudar. E as consequências para os utentes serão piores. Acho que ja todos vimos este filme noutras áreas..a conversa é boa até determinado momento…as greves irão continuar…tudo irá ser igual se os utentes não mudarem de postura.” Rute Isabel

“A entrada da Carris Metropolitana ainda não entrou em vigor e já estará a provocar danos e a mudar drasticamente a vida dos utentes. Vou fazer referência as Carreiras da SulFertagus – a mudança é significativamente absurda. Os horários não se mantém os mesmos e aos fins de semana é desproporcional, para além de, não corresponderem com o transporte Ferroviário (Fertagus) como actualmente o fazem. A consequência mais grave desta situação é o elevado tempo de espera que um utente terá que esperar pelo próximo horário e ainda mais complicado se revela, quando no exacto momento em que a carreira saí das estações ferroviárias é quando o comboio faz a largada dos passageiros. Em nome de muitos utentes, fazemos a questão que se mantenham os horários em vigor. É desagradável e lamentável danificarem a vida das famílias/Utentes. Manter os horários actualmente em Vigor nos Serviços da SulFertagus. Uso a Sulfertagus há 10 anos. Idade 30” Manuela 

“Com relação a Sulfertagus/Pragal Sobreda vai ser pior,o 151 Solimar/Marquês do Pombal é super importante para a população que o usa diariamente, o 167 costa Caparica/Almada Fórum desaparece, tal como a 161 Almada/Areeiro desaparece! vamos ficar pior servidos e ter que apanhar uma data de transbordos para chegar aos trabalhos! Uso a fertagus e sulfertagus desde o inicio da sua inauguração e agora com esta palhaçada vamos todos ficar mal servidos!” Maria Céu Costa Santos, idade 54

“Moro da Piedade e trabalho em Alvalade. Usava o 160 que vai deixar de existir, era muito cómodo porque usava só um transporte. Daqui tenho alternativas, mas implicam várias mudanças e não sei se a minha saúde vai aguentar. Posso ir de autocarro/barco/metro, mas parece que os autocarros na Cova da Piedade vão diminuir; ir de autocarro e apanhar outro transporte em Lisboa, mas perco muito mais tempo, ir de comboio não é alternativa, já que não há transporte da Piedade para o comboio.” Nuno Pinheiro

“Para além da trapalhada das mudanças nos percursos e horários a falta de informação é gritante. Luz Rosário

União de Freguesias do Laranjeiro e Feijó

“Há muita gente que vai ficar apeada porque não vai haver ligação ao primeiro barco. Experimente ir amanhã ao Laranjeiro as 5 da manhã junto ao Oásis para ver a quantidade de pessoas que vai ter de apanhar o primeiro metro às 5h20 ou o primeiro autocarro às 5h40, que já só vai conseguir apanhar o barco das 5h50. Estamos a falar de muitas dezenas de pessoas que têm de estar em Lisboa antes das 6 da manhã, que não têm outra forma de se deslocar e que fazem longas distâncias a pé para conseguir apanhar o primeiro barco. Existiam duas carreiras: 133 e 124 que garantiam a ligação ao primeiro barco (5h20 ou 5h22), o que vai deixar de acontecer. Creio que poderá acontecer o mesmo com a última ligação (barco do Cais do Sodré da 1h40m). Nas ligações da manhã, estamos a falar de muitas senhoras da limpeza e trabalhadores no setor da restauração que trabalham muitas horas por dia (por vezes em vários locais) que não têm alternativa. Esses são os casos que ninguém vê e ninguém quer saber…Essencialmente o grande problema chama-se incompetência de quem manda. Mais, as autarquias fizeram parte do processo, mas pura e simplesmente borrifaram-se nos utilizadores. Não tenho conhecimento que alguma vez tivesse havido um estudo para aferir efetivamente as necessidades das populações. Basicamente pegaram nas comissões das assembleias municipais, que apesar da muito boa vontade, não percebem do negócio” João Silva Antunes

“Alguém fale que junto ao Oásis sempre existiram autocarros para Almada Fórum durante 20 anos e deixam de haver, autocarros para Cacilhas reduzidos para obrigar pessoas andar no metro, mas metro não chega a todo lado” Francisco Cavaco

“Mudei-me para a margem sul (zona Laranjeiro) e antes morava em Algés, apanhava comboio, barco e a carreira 124 de Cacilhas para Pilotos (meu local de trabalho) agora mudei me para a margem sul para ser mais perto do local de trabalho, zona Laranjeiro e neste momento fico sem perceber como é que a partir do dia 1 de Julho vou trabalhar. Infelizmente quem manda não sabe o que está a fazer. Tenho 40 e à cerca de 3 meses apanho transportes. Eu usava comboio linha de Cascais, barco até Cacilhas e depois apanhava o 124 de Cacilhas para Costa da Caparica e agora o que vai ser substituído pelo 3022 e o percurso a partir de amanhã será da Costa da Caparica para o hospital Garcia da Orta.” Cláudia Louvado

“Moro na zona do Depósito da Água, no Feijó, junto à “praça dos ciganos” e trabalho em Paço de Arcos e, por isso, o meu percurso habitual é autocarro, barco, comboio e autocarro. Para Cacilhas, nesta paragem, tínhamos o 123 e 133, e com a pandemia tivemos cortes nos horários, e que nunca foram repostos na totalidade. Ainda com os horários da TST, nesta paragem, temos (ou tínhamos já que amanhã entram os novos percursos e horários) para Cacilhas, autocarro às 5h, 5h20, 5h45, 6h05, 6h15, 6h35 (mais coisa, menos coisa). Com a Carris Metropolitana, passará a ser a carreira 3013, cujo primeiro autocarro sairá do Monte da Caparica às 6h20 e levará uns 15 minutos a chegar a esta paragem no Feijó. Costumo apanhar o autocarro das 5h45 para apanhar o barco das 6h12 e, claramente, com estes horários não o vou poder fazer. Alternativas? Ou ir até à paragem do Pingo Doce do Feijó para apanhar o 3003 (mas não deixa de ser mais longe da paragem onde actualmente apanho); ou ir a pé à paragem do Lidl da Rua dos Castanheiros apanhar o 3513 ou então ir a pé até ao Laranjeiro para apanhar o metro. Provavelmente a minha escolha será o 3003 por ser a opção mais próxima mas não é uma opção para toda a população do Feijó.” Patricia Rodrigues

“Eu vou do Laranjeiro para Lisboa como muitas mulheres vão, se tivessem olhos na cara não tiravam as carreiras 160 e 152 que são as primeiras a sair da Piedade uma em direcção a Alcântara e outra a Sete rios. ok as mulheres que vão nesses autocarros e verdade não trabalham em escritórios não somos dessa categoria somos aquelas que limpam para que o pessoal de escritório possa chegar encontrar tudo aquilo que sujam e limpo. o pior é que perante o senhor que faz os trajectos e horários pelo Google não deve sentir falta da senhora sem categoria mas pode ser que a partir de amanhã veja com olhos de gente que a muita gente na Margem Sul luta para chegar a horas ao serviço e que agora vai ser uma meta impossível” Rute Isabel Duarte

União de Freguesias da Caparica e Trafaria

“Moro no Monte Caparica, na parte de dentro, tenho 60 anos e todos os dias para ir para o trabalho apanho as camionetas, 124 ,125 ,126 ,127, qualquer uma delas dava porque trabalho no Pragal velho agora limitada ao 3007 que por sinal ainda hoje falhou a das 7.15 , que felizmente as pessoas desceram e tiveram as de cá de baixo como alternativa, e ainda por cima a 3007 com horários de treta, ao Sábado vou trabalhar as 7h da manhã mas só tenho 3007 as 7.45 ,lindo serviço, infelizmente é o que temos e sem ninguém de força maior, CMA, JUNTA DE FREGUESIA, ou quem quer que seja a nossa favor, só se lembram da população no tempo das eleições, depois de estarem servidos, somos chutados pra canto” Filomena Gomes

“Moro no Monte de Caparica, trabalho na Sobreda, com horários entre as 7h e as 23h, com folgas rotativas. Com a TST que utilizo desde sempre para me deslocar para o trabalho, numa viagem de cerca de 1h, a deslocar-me para Cacilhas na carreira que passa na Rua dos 3 Vales cerca das 5h50 para apanhar a carreira 123 que sai de Cacilhas às 6h30. Neste momento pelo que me pareceu nos horários que vi além da maioria das carreiras começarem as 6h da manhã, não irei ter o 123 a passar nas mesmas paragens, já para não falar que não vou conseguir cumprir o meu horário laboral aos fins de semana..Infelizmente não ganho o suficiente para poder deslocar me de Uber todos os fins de semana e sempre que entrar às 7h” Tânia Santos

“Moro na Vila Nova da Caparica, para ir a Almada ou Cacilhas tenho de apanhar dois autocarros, não tenho passe, será que o primeiro bilhete pago vai dar para o segundo autocarro que obrigatoriamente tenho de apanhar ou para o metro caso opte por ele? Mas se for para a Clinica Juvenal, para a policia ou para a companhia das águas ou de gaz (galp) tenho de sair no hospital Garcia de Orta e ir a pé todo esse percurso, tenho 68 anos, não 2 . Quando apanhando a velhinha 124 era viagem direta e com paragens perto de todos os sítios que mencionei e outros , enfim .!” Fernanda Moura

“Chamo me Clementina Neves moro na Trafaria apanho 129 Trafaria Costa e 124 Costa para Cacilhas faço esse caminho para meu trabalho há 13 anos, agora vou me limitar 3030 que vai pelas praias que a paragem que deslocar para outra rua nem sei bem qual para apanhar costa para hospital podiam mudar mas não as paragens tinha primeira 6.50 para costa agora so 7.10 que sai monte nem sei a que horas chega a Trafaria” Clementina Neves

“Moro no Bairro Amarelo Monte de Caparica tenho 60 anos, antes bastava apanhar o 106 às 6h45 que iniciava no bairro, que dava para apanhra o comboio das 6h59 no Pragal pois trabalho em Alfragide e até já chegar apanho 5 transportes. Amanhã tenho que apanhar o mesmo (106) que passa a ser 3007 que inicia na escola básica junto ao Continente, as 6h05 e quando chega à minha paragem não sei a que horas, e já deve de vir lotado (pois é a 2 carreira que passa na rua dos 3 Vales que vai ao Pragal pois a outra é a 3022) fico então preocupada se vou conseguir apanhar, pois o outro horário já não dá para apanha o comboio no Pragal às 6.59” Paula Taborda

Junta de freguesia da Costa da Caparica

“Acho que onde vai dar maiores problemas vai ser na Costa da Caparica por ainda lá autocarros dos grandes e vai passar a autocarros normais e a frequência Frequência e a mesma. 161 e 153 o que vai substituir os dois é a 3710” José Augusto (nome fictício) referindo-se aos autocarros articulados da TST, também chamados lagartas, que vão desaparecer

“No horário de Verão a antiga carreira 135 Costa da Caparica – Costa (Via Rápida) vai ter intervalos de passagem de hora a hora! ora se antigamente era de 15 em 15 minutos em determinadas alturas do dia e mesmo assim havia malta apeada…e atenção, estamos a falar de uma empresa do lote 3, TST, que se mantém a operar. Ou seja, os motoristas são os mesmos!” João Silva Antunes

“Quando a Costa fecha às 23h30! Este é o último autocarro do Pragal para a Costa. De Lisboa então nem vale a pena referir…22h30 e está feito. Pergunto-me se os autocarros não têm o dever de acompanhar o comboio. Ou vimos todos de táxi para casa depois das 23h30?” Carmo Nogueira e Castro

“O 194 foi substituído pelo 3022, com uma volta muito maior. Há mais autocarros, mas demoramos imenso a chegar ao Pragal. Uma volta como a do 124. Terrível. 40 min um e 30 min outro para chegar ao Pragal. Uma falta de visão e de respeito por quem mora aqui. Mas o que mais irrita é sermos uma “cidade” e um óptimo destino de surf como anuncia a câmara e não termos como chegar a casa..” Sandra Sousa

“Eu que venho da Costa é não há autocarro directo… agora vou à Sobreda ao Feijó e isso para o fórum.. E de regresso a casa espero 40 minutos para dar outra volta ao recinto” Vania Franco

“A carreira 194 Costa de Caparica-Pragal (IC20) desapareceu e não temos uma alternativa rápida para o Pragal!!!” Sérgio Mestre

“Moro em São João da Caparica e trabalho no Marquês de Pombal. Há 3 anos, pré pandemia, fazia o seguinte percurso: 129 que passava aqui às 8h07 e chegava à Costa da Caparica (mercado) às 8h15 e depois apanhava o 155 para o Marquês de Pombal que saia às 8h15 para o Marquês de Pombal e ia a pé para o trabalho, chegando às 9h. No regresso, saindo do trabalho às 19h00, apanhava o autocarro no Marquês de Pombal às 19h10 para a Costa da Caparica e apanhava o 129 das 19h40 ou 20h e chegava às 19h50 ou 20h10. Pós março de 2020 passei a ir e voltar a pé para a Costa da Caparica (25 minutos) pois os horários do 129 reduziram drasticamente e ainda não foram repostos até hoje. Apanhava o 155 das 7h30 pois o das 8h15 foi também suprimido. Chegava ao trabalho às 8h10 quando só entrava às 9h00. para voltar apanhava o 155 das 19h10 e ia a pé 25 minutos para casa. A partir de amanhã tenho de apanhar o 3021 que sai do Monte da Caparica às 7h00, chegar pelas 7h55 à Costa da Caparica junto ao centro de saúde, andar 500 metros a pé para a paragem da ex GNR e apanhar o das 8h15 para o Marquês de Pombal. Ou seja, transbordo de 20 minutos ou vir a pé 25 minutos, eis a questão. De regresso suprimiram o horário do 155 das 7h10 pelo que só posso apanhar o das 7h30, chegarei à Costa da Caparica às 8h25 e terei autocarro para São João da Caparica às 21h40, ou seja 1h05 de transbordo, ou seja, não é viável, irei a pé. Tenho 45 anos, fazia este percurso há 3 anos, 2 dos quais em pandemia pois trabalho em serviços públicos essenciais e não houve teletrabalho para mim. Já reclamei várias vezes da não reposição dos horários pré pandemia para os TST (que sempre responderam que adequam a oferta à procura em 2021 e em 2022 que não iam fazer alterações antes da Carris Metropolitana) e Junta de Freguesia da Costa da Caparica que nunca me deu uma resposta concreta a não ser que ia analisar e/ou que tudo ia melhorar com a Carris Metropolitana. No fundo estou a demorar mais 1h20 de percurso por dia desde pré pandemia, incluindo 50 minutos a pé.” Ana Carvalho

União de Freguesias da Charneca da Caparica e Sobreda

“Chamo me Sónia Nunes, 44 anos e moro na Sobreda. A nível de autocarros, vamos ficar muito pior. Junto ao centro de saúde, da Sobreda, passa a existir só um autocarro. Pergunto, se os idosos têm dinheiro para táxis. A maioria dos jovens, não tem vaga na escola secundária Daniel Sampaio e são colocados em Almada. Pergunto, se as escolas vão dar tolerância de entrada, pois ficam reduzidos a 1 só autocarro. O autocarro Fertagus, 1P, demorava só 15m, da Sobreda ao Pragal. O que permitia, as pessoas deslocarem se, para o metro e comboio. Esse autocarro foi retirado, e agora? De 15 m, passamos andar a passear pelo Feijó no 3027? Uma vergonha. Se querem terminar com os carros, na zona da Sobreda, só vai aumentar o fluxo. E a junta de freguesia, nada faz.. Passou a uma meia hora, ou mais e deixa de ser directa. Inadmissível, hoje, nas paragens não existiam os novos horários. As pessoas, sem net, não sabem como vão fazer amanhã” Sónia Nunes

“Moro na Charneca da Caparica trabalho no HGO, apanhava a 126, 127, 145 para o hospital entretanto o autocarro que substitui a 127 e 145 deixa de passar na clinica Monserrate, fiquei reduzida a uma que é a da Marisol, entretanto essa deixa de ter passagem pelo hospital aos domingos a partir das 20 ou seja quando faço turnos não tenho como vir para casa, tenho outras alternativas que ao domingo também não tem horário a partir das 20 e ainda por cima iniciam e terminam na estação do Pragal. Ou seja nos dias que sair à noite tenho, a dias úteis de ir a pé ate ao Pragal se perder essa da Marisol, o que é perigoso de fazer aquele caminho sozinho à noite, e de dia tenho de sair lá e ir a pé também aos domingos não tenho como voltar para casa. Acho que deviam avaliar e prolongar os horários dos autocarros ate a meia noite pelo menos e daqui da Charneca a passar pelo centro clinica Monserrate e bombas galp ter mais passagem de autocarros. Assim fica complicado” Neuza Coimbra

“Eu e como muita gente estamos revoltados com estes horários, sou utente do 123 o único transporte directo pra Cacilhas que serve os utentes da Quinta Nova, Vale Fetal e por aí a fora, era o único autocarro que tinham e que agora lhes foi retirado. Agora essas pessoas para irem por exemplo ao Laranjeiro, Cova da Piedade e etc, ou vão para Corroios e apanham o metro descem ao pé do pingo doce do laranjeiro ou, um pouco antes para apanhar um autocarro que vá pra Cacilhas. Ou então têm que apanhar um autocarro para o Monte Caparica ou descer no Pragal e aí então apanhar outro para a cova da piedade e etc. Agora veja os utentes mais idosos a fazer estas mudanças todas que com estes números para decorar… É agora pra ir às compras com estas alterações todas… Depois de compras feitas a que horas se chega a casa… Isto tudo é inadmissível” Ana Mendes

“Ainda não vi ninguém dizer que ficou melhor servido. O maior problema parece residir no facto de que antes o percurso era feito directo e agora será sempre necessário apanhar 2 autocarros. Muitas queixas sobre o 123 que atravessava Almada toda. No plano pessoal, resido junto ao centro de saúde da Sobreda. Tínhamos 4 linhas. Agora ficamos com 2 sendo que uma apenas funciona em horário de verão (a população idosa terá graves problemas para usufruir do centro de saúde). A escola Elias Garcia ficou por exemplo sem transporte para quem reside nesta zona. A escola da Alembrança o mesmo. Eu pessoalmente que trabalho por turnos em Lisboa, terei sempre de utilizar o meu carro para chegar ao Pragal de manhã cedo e á noite. Não tenho outra alternativa, devido aos horários (de manhã o horário começa tarde e á noite termina antes das 21h). O trânsito não será apenas afectado por quem não tem o autocarro que antes utilizava, mas também pelo maior número de autocarros a circular, uma vez que todas as linhas ficaram com percursos mais curtos, sendo agora necessário para o mesmo percurso apanhar 2 autocarros.” Mário Coelho

“A minha mãe e eu moramos na Charneca da Caparica e a partir De amanhã não há forma de voltar para casa quando a minha mãe sai do trabalho, os autocarros terminam às 23 e 30. Ela sai do Trabalho que é na costa da Caparica às 24h. Já nos dias que correm para entrar às 10:30 da manhã tem que sair de casa às 9h agora com estas alterações não fazemos a mínima Ideia como vai ser. À noite apanha o autocarro da costa 124 para o Lazarim e depois faz o transbordo para o 126 que sai de Cacilhas às 00 e 40. Com sorte apanha-o se não tem que chamar um uber. Agora à noite terá que regressar de uber para casa desde a porta do trabalho.” Daniela Felício

“Os estudantes da Marisol e Aroeira que precisam ir para a FCT ou escolas em Almada logo de manhã cedo passaram de 3 autocarros para apenas 1, por exemplo. O 126 já ia sempre muito cheio em qualquer dos 3, como vai ser no futuro.” Zélia Cruz Pereira

“Amanhã vai ser caos total” Rosa Dias

Neste momento existem várias petições públicas na Internet (como esta, esta ou ainda esta) para a reposição das linhas dos TST no geral ou para a reposição de linhas específicas e, também um grupo de utentes da Carris Metropolitana no facebook, onde as queixas e os desabafos dos almadenses e de utentes de outros concelhos se acumulam e não param de chegar. Muitos enviaram mails à AML, TML, CMA, Juntas de freguesia e/ou recorreram ao Portal da Queixa com reclamações antecipadas.

Para amanhã espera-se o caos, quer pela falta de algumas linhas, supressão de horários, reclamações, transportes públicos cheios e engarrafamentos. Todos os que puderem vão com certeza utilizar o carro até a presente situação estar solucionada. Precisamente o contrário do macro objectivo de todo este enorme processo.

Links úteis:

Novos Horários TST —-> Carris Metropolitana aqui

Novos Horários Carris Metropolitana aqui

Horários Carris Metropolitana e conversor de linhas aqui

Voltar para Parte I Voltar para Parte II


ÚLTIMA HORA! O seu Diário do Distrito acabou de chegar com um canal no whatsapp
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito